Batata Movies (Especial Oscar 2018) – Visages Villages. Memória E Identidade.

               Cartaz do Filme

Dando sequência às nossas análises sobre filmes indicados ao Oscar 2018, vamos falar hoje do excelente documentário “Visages Villages”, de Agnes Varda e do artista (muralista e fotógrafo) JR, que justamente concorre à estatueta de melhor documentário. A grande dama da nouvelle vague e esse jovem artista francês irão viajar pela França em busca de pequenas localidades e povoados, munidos de um caminhão que é uma espécie de câmara fotográfica gigante. Existe nele uma cabine onde as pessoas posam para fotos que são tiradas e que, segundos depois, são impressas em tamanho gigante em papel. Essas fotos são usadas depois para serem feitos enormes murais em prédios e habitações dos povoados que eles visitam.

                                   Varda e JR

Essa brilhante ideia, do ponto de vista artístico, também é sensacional do ponto de vista da preservação da memória e identidade locais, trabalhando a autoestima da população.

          Uma moradora em heroica resistência…

É comovente ver pessoas simples, anônimas, retratadas em tamanho gigante nas paredes das casas e pequenos prédios. Tivemos casos muito legais, como o da vila de mineiros que está praticamente abandonada e que tem ainda uma moradora. Lá, fotos antigas dos mineiros foram reproduzidas nas fachadas das casas, assim como da última moradora que ainda resiste, o que levou esta às lágrimas.

                  Uma garçonete na fachada…

O mesmo foi feito com trabalhadores de uma indústria química, uma moça que trabalhava como garçonete num vilarejo, um fazendeiro com sua imagem registrada no seu celeiro e até o próprio carteiro de Varda, ornando a fachada de um prédio. Varda e JR também não escaparam de serem retratados e pudemos ver, por exemplo, os dedos do pé e os olhos da diretora ornando vagões de trem. Aliás, um outro momento divertido do filme foi a relação entre Varda e JR, onde a diferença de idade ditou as regras. Havia momentos muito ternos entre os dois, mas também havia momentos um tanto tensos. Foi hilário ver Varda pedindo a JR que tirasse seus óculos escuros que ele usava permanentemente, algo que o artista se negava terminantemente, da mesma forma que Godard o fizera para Varda décadas antes. Godard não é somente citado nessa parte do filme e uma referência a ele surgirá mais ao final. Mas, chega de spoilers!

              Abbey Road com olhão ao fundo…

Assim, “Visages Villages” é mais um bom filme indicado ao Oscar que está em circuito para o querido leitor desfrutar. A grande diva do cinema francês Agnes Varda junta suas forças com um renomado artista visual e passeia pela França captando histórias de vida, monumentalizando-as, dando enormes contribuições para a memória e identidade locais. Um trabalho de autoestima. Um trabalho humanista. Um trabalho do coração. Um filme imperdível!!!

Deixe uma resposta