Batata Movies – Bingo. O Rei das Manhãs. Bozo’s Biography.

                         Cartaz do Filme

Um curioso filme brasileiro está nas telonas. “Bingo. O Rei das Manhãs” fala da trajetória de um artista inspirado no personagem real de Arlindo Barreto, que ficaria conhecido como o palhaço Bozo. Barreto fez muito sucesso na antiga TVS (atual SBT) encarnando o palhaço americano e conseguiu bater até a poderosa Rede Globo em audiência. Mas a vida do artista não foi um mar de rosas e ele acabou entrando num período de franca decadência, onde o vício em cocaína foi apenas o primeiro degrau para o buraco. A película falará das meteóricas ascensão e queda de Arlindo de uma forma bem biográfica e direta, não deixando ponto sem nó.

                   Boz… Bingo está de volta!!!

E quem interpreta o palhaço nessa empreitada? Vladmir Brichta, que estava simplesmente sensacional no papel de Augusto Mendes. Foi notável ver como o ator conseguiu dar um grande carisma ao personagem, mostrando a firmeza e obstinação de Augusto em conseguir o papel e depois conseguir dobrar o empresário americano que trouxe um formato de programa dos Estados Unidos que não se encaixava à realidade brasileira. Foi Augusto/Arlindo que, na base do puro improviso, com uma baita presença de espírito, conseguiu reestruturar todo o programa e torná-lo um sucesso de audiência, não sem muita pressão em suas costas, algo que ele levou numa boa. Se Brichta conseguiu ir muito bem nessa faceta do personagem, ele foi igualmente perfeito na fase negra de Augusto/Arlindo, mergulhando em doses profundas de desespero e de decadência. Esse é o tipo de papel que é um verdadeiro presente para a carreira de um ator, pois pode valorizar em muito a sua carreira.

            Gretchen em programa infantil!!!

Mas esse presente tem uma faca de dois gumes e deve ser muito bem aproveitado. E Brichta não brincou em serviço. A gente realmente fica impressionado com sua atuação. Um outro destaque é a presença de Leandra Leal, que também conseguiu mostrar muito talento, fazendo o papel de Lúcia, a diretora do programa de TV, que aparentemente tem mais idade que a atriz. Leal foi notável em sua interpretação de mulher mais velha, sendo um verdadeiro deleite vê-la atuando com Brichta. Só esses dois detalhes já justificam o ingresso do filme. Mas a película tem mais atrativos, pois ela está cheia de referências afetivas para nós que vimos o programa do Bozo naquelas manhãs da década de 80 e que estamos na faixa dos quarenta a cinquenta anos. Isso sem falar da trilha sonora da época, carregada de um Rock Nacional com músicas que também tocavam fundo em sua alma, tanto quanto o Opala SS do palhaço. Ou seja, uma reprodução de época muito perfeita e bem cuidada.

          Leandra Leal impecável como Lúcia…

Assim, se você cresceu vendo o Bozo na TVS, esse filme é um programa imperdível. E se você não teve a oportunidade de vivenciar aqueles anos, agora tem uma oportunidade ímpar de saber o que perdeu. E ainda há a atuação ótima de Brichta e Leal, assim como uma química entre atores poucas vezes vista em nosso cinema. Não deixe de prestigiar esse grande filme, que vai te fazer rir e chorar. Só não vale falar “Ah, que peninha” no final…

Deixe uma resposta