Batata Literária – Vida de Abelha

Zuuum!

Vou para lá!

Zuuum!

Vou para cá!

Sobrevoando campos floridos!

Pegando pólen aqui e ali!

Vejo muitas cores lá no chão

Mas não posso ficar em contemplação.

 

Minha vida é só trabalho

Sem direito a férias, décimo-terceiro salário

Ou até mesmo aposentadoria

A sobrevivência da colmeia depende de mim

Mas não sou a única nessa tarefa

Todas as outras minhas amigas também ralam

Nossa força é o nosso coletivo

Sem espaço para a individualidade

 

Ah, mas às vezes quero sair de férias

Conhecer Paris, Roma, Honolulu

Mas não consigo nem ir à Paquetá ou à Cabuçu

Como deve ser ficar sem fazer nada?

Deitada, de ferrão para o ar?

Tirar uma soneca debaixo da flor?

Ver o novo filme do Tom Cruise? (Ai, que gato!)

Andar de montanha-russa no Playcenter?

 

Ihhhh! Quanta bobagem estou pensando!

Ai de mim, se a rainha escuta tudo isso!

Ela quer a gente só mergulhada em nosso compromisso

De construir toda a nossa colmeia

E a nossa espécie preservar

Por isso, não posso titubear

E devo continuar a trabalhar

Para a nossa revoada a gente continuar

Deixe uma resposta