Batata Antiqualhas – Spock e Leonard. Dualidade que se Completa (Parte 9)

 

                                                   Nimoy no teatro…

Durante as filmagens de “Catlow” no sul da Espanha, Nimoy percebeu que a sombra de Spock ainda pairava no ar. Enquanto conversava com um jovem maquiador de Madri no “set” de filmagens, o rapaz mostrou a ele uma caixa de cigarros que tinham duas orelhas originais de Spock. O maquiador as conseguiu depois de fazer um curso com Freddy Philips, o maquiador de “Jornada nas Estrelas”. Só para sanar uma curiosidade aqui, Nimoy usou cerca de 150 pares de orelhas ao longo da série (cerca de dois pares por episódio), que duravam apenas uns poucos dias. Nimoy também esteve uma vez com um representante de vendas da Paramount em Londres e o filho desse representante tinha um uniforme original de Spock.

Nimoy continuou a sua experiência no teatro e uma das peças das quais ele tem boas recordações é “The Man in the Glass Booth”, que falava de um homem que havia sido acusado de crimes de guerra nazistas, sendo julgado em Israel, mas na verdade ele era um preso judeu do campo de concentração e era inocente. Entretanto, esse homem declarou falsamente sua culpa para ser condenado à morte e depois os acusadores descobrirem que haviam matado um homem inocente. Ele queria ajudar a mostrar o que a sede de vingança pode provocar. A peça chegou a ser considerada antissemita por alguns. Mas muitos judeus não pensaram assim, para alívio de Nimoy.

             Um Calígula vulcano…

Enquanto isso, “Jornada nas Estrelas” era reprisada diariamente em muitas estações locais de tv, tornando Spock mais vivo que nunca. As críticas das peças de Nimoy sempre faziam alusões ao vulcano e às suas orelhas. Isso provocava um certo desconforto em nosso ator, que ao interpretar Calígula numa peça, ficou muito nervoso, pois uma de suas falas era: “Resolvemos ser lógicos”. Nimoy sempre tinha a impressão de que os espectadores das primeiras filas dos teatros onde encenava falavam a ele: “Oi, sr. Spock!”.

Tal situação deixava Nimoy em conflito, pois, ao mesmo tempo que ele sentia falta do personagem vulcano, ele não queria ficar marcado como ator de um personagem só. Mas “Jornada nas Estrelas” não perdia sua força. Pelo contrário. Em 1972, foi feita em Nova York a primeira Convenção Nacional de “Jornada nas Estrelas”, onde os organizadores achavam que 500 fãs seriam um bom número. Apareceram três mil pessoas. Tais eventos davam grande emoção a Nimoy, pois não havia qualquer comércio ou produtoras hollywoodianas por trás. Apenas a paixão dos fãs. Nmoy associa tal sucesso de “Jornada nas Estrelas” a vários fatores. Um era a mensagem de um futuro otimista, onde a raça humana sobrevivera à ameaça da guerra nuclear que, naquela época, estava no auge (a crise dos mísseis com Cuba e a União Soviética tinha acontecido em 1962). As décadas de 1960 e 1970 também foram de efervescência cultural, onde a população questionava governos e líderes, em tempos de verdadeira incerteza. Em contrapartida, a tripulação da Enterprise era confiável e incorruptível.

                                    A série animada…

Logo, ficava evidente que a série voltaria. Ela deu seus sinais em 1973, em forma de desenho animado, produzido por Dorothy Fontana. Mais tarde, em 1975, a Paramount, que havia comprado os direitos de “Jornada nas Estrelas” da Desilu, quis retomar a série com o elenco original. Mas o entusiasmo dos fãs era tão grande que o projeto da série foi substituído por um filme para o cinema. Entretanto, os roteiros para isso foram rejeitados. Em 1978, surgiu um novo projeto para série: “Jornada nas Estrelas, Fase II”. Só que foram oferecidas a Nimoy apenas participações esporádicas. Nimoy recusou. Essa recusa, mais a publicação do livro “Eu não sou Spock” na época é que deram a Nimoy a fama de não gostar de Spock e da série. Ele foi o único ator do elenco original a não assinar contrato. Mas o projeto da série foi abandonado em virtude do estrondoso sucesso de “Guerra nas Estrelas” na época. Assim, o projeto do filme voltou a tomar força.

No próximo artigo, vamos falar do primeiro longa de “Jornada nas Estrelas” e a conturbada negociação de Nimoy para participar do filme. Até lá!

   A “Fase 2” não    vingou…

Um pensamento em “Batata Antiqualhas – Spock e Leonard. Dualidade que se Completa (Parte 9)”

Deixe uma resposta