Batata Literária – Redução de Amplitudes

Quão altas estão minhas amplitudes!

Quantas vicissitudes!

Oscilo entre o triste e o muito triste

Felicidade não bota dedo em riste!

Dívidas, problemas, preocupações!

Desânimos e falta de emoções!

Estou cansado de tudo isso!

Procuro buscar em vida novo compromisso!

Quero um foco certeiro

Um objetivo maneiro

Estabilizar as tristezas

Não mais temer as incertezas

Se mexer e ver o que vai dar

E, na felicidade, ainda acreditar

Libertar-me da maldita rotina

Assim como a presa foge da rapina

Vamos apagar as mágoas do passado!

Vamos nos libertar do ranço desmesurado!

Chega de dor!

Chega desse maldito torpor!

Quero viver, quero respirar!

Quero voltar a amar!

Amar sem medo da decepção!

Sem cair de cabeça na frustração!

Daí é necessário o equilíbrio

Nem feliz demais, nem triste demais

Assim, evito meu martírio

E não me atormento com tormentas banais

Redução das amplitudes, penso eu

Pois meu sofrimento ninguém mereceu

Só assim, da letargia irei sair

E ressuscitarei para todo o meu porvir…

Deixe uma resposta